segunda-feira, 4 de junho de 2012

A uma semana de um "até já"

Quase seis meses depois de chegar ao Brasil, vou deixá-lo por uns tempos...
O visto está a terminar e está na hora de fazer uma visitinha ao meu Portugal e à minha gente. 
Estou feliz! A ideia de viver o verão de dois países agrada-me, por isso não vou contrariada. As saudades da família, amigos e lugares também me puxam para o outro lado do Atlântico.

E chego mesmo a tempo de festejar o Santo António! Aterro em Lisboa dia 13, na hora certa para ir aos bailaricos. Haverá coisa melhor?!
Até já




segunda-feira, 7 de maio de 2012

domingo, 29 de abril de 2012

Uma experiência "agridoce"

Há quatro meses no Brasil, o balanço que faço desta experiência é "agridoce".
Bem, isto não quer dizer que seja má, pelo contrário, tem sido óptima e um ensinamento para a vida.
Quando uso este termo, quero com ele dizer que a minha vida aqui tem sido vivida de uma forma distinta. Tudo é sentido de uma forma diferente, tranquila, mas, às vezes, de uma forma exagerada. O que é bom parece óptimo e o que é mau parece péssimo.
Se por um lado tenho uma vida que muitos desejavam ter actualmente, por outro tem dias em que me sinto sozinha num lugar em que nada é meu: nem casa, nem família, nem amigos, nem os lugares...
Pois é, que falta fazem estas coisas nos momentos menos bons. Que saudades das "fugas fáceis" aos problemas que resolviam as coisas numa questão de horas. Assim, sem elas por perto, as coisas demoram mais a ser digeridas e o tempo (que é muito) só alimenta pensamentos que devemos ignorar...
Mas simplificando a coisa, "agri" por sentir na pele que estou longe de tudo e de todos e "doce" por estar a viver a minha vida em pleno e ter tempo para me conhecer melhor!


quinta-feira, 5 de abril de 2012

Um pequeno desafio


A minha Carochinha, uma das pessoas de quem sinto uma imensa saudade, lançou-me um desafio há uns dias e eu, no meio de tanto "trabalho", não cheguei a responder. Mas hoje estou numa de enfrentar "o touro pelos cornos"...

Então aqui ficam os dados do desafio, as minhas respostas às perguntas que me fez e os factos sobre mim:

O desafio consiste em:
1. escrever 11 factos aleatórios sobre nós próprios;
2. responder às perguntas que foram propostas e criar 11 novas perguntas para as próximas
pessoas.
3. escolher as próximas pessoas e colocar o link
4. ir à página delas dizer que lhes foi proposto este desafio
5. nada de taggs de volta
6. postar o conjunto de informações relativamente ao que o desafio consiste.

11 factos aleatórios sobre mim:

1. Só estou bem onde não estou 
2. Sonho tanto a dormir como acordada 
3. Sou apaixonada pelo meu irmão
4. Adoraria viajar a vida toda
5. Já quis ter cinco filhos, hoje acho difícil ter um
6. Adoro praia
7. Quanto meto uma coisa na cabeça dificilmente perco o foco
8. Preciso sentir ansiedade para me sentir mais feliz (nem que seja a chegada de alguém)
9. Gosto do Brasil onde hoje, finalmente, moro 
10. Adoro música e até hoje sofro pelo roubo do meu ipod
11. Adoro rir até me doer a barriga


As respostas às perguntas da Carochinha:
1. Se fosses um animal que animal serias? um Colibri 
2. Se pudesses fugir durante uma semana para estar sozinha para onde ias? Índia
3. Qual o melhor presente que já te ofereceram? a Liberdade
4. Tens algum animal de estimação? O fantástico cão Tobias
5. Qual é a melhor anedota de sempre? O Governo português
6. Que música melhor te define? Estou além, do António Variações
7. Um sonho maluco que já tiveste. Ter cinco filhos
8. Se pudesses ser uma personagem de ficção (BD, filmes, séries, livros, etc.) quem gostavas de ser? Bart Simpson
9. A 1ª coisa que fazes de manhã: Penso: onde estou?
10. Se te quiserem fazer rir têm de... ser criativos ou trazerem-me crianças
11. Se te quiserem fazer chorar têm de... ser emocionantes ou cruéis


As 11 perguntas para a vocês:
1. O que te faz mais feliz? 
2. Qual o teu filme favorito? 
3. Qual a tua melhor viagem?
4. O que querias ser quando eras criança? 
5. Qual o teu maior sonho?
6. Qual o teu maior desafio?
7. Quem é que gostarias muito de conhecer?
8. O que achas que tens mesmo que fazer antes de morrer?
9. O que não dispensas nem por nada? 
10. Qual o país onde gostarias de morar um dia?
11. Tens medo de...

"Saudade", do latim "solitas, solitatis" (solidão), na forma arcaica de "soedade, soidade e suidade" e sob influência de "saúde" e "saudar"

Pai, Mãe, Mano, avós, Tobias, Rita, Carolina, Catarina, Pedro, Gabriela, Rodrigo, Patrícia, Sandra, Carla, Paula, Diogo, Paulo, Miguel, Vanda, Nuno, Joana, Filipa, Ana, Vasco, Rita, João, Mónica, Olga, Vítor, Carolina, Leonor, Alexandre, Luís, Manuela, Célia, Adelaide, Gabriel, Sandra, Bruno, Pedro, Tita, Helia, Milú

Saudades destes e outros mais...  

domingo, 25 de março de 2012

De mais e a menos...

Nós bebemos demais, fumamos demais, gastamos sem critérios, conduzimos rápido demais, ficamos acordados até muito mais tarde, acordamos muito cansados, lemos muito pouco, assistimos TV demais e rezamos raramente. 

Multiplicamos os nossos bens, mas reduzimos os nossos valores.

Nós falamos demais, amamos raramente, odiamos frequentemente. 

Aprendemos a sobreviver, mas não a viver; adicionamos anos à nossa vida e não vida aos nossos anos. Fomos e voltamos à Lua, mas temos dificuldade em cruzar a rua e encontrar um novo vizinho. 

Conquistamos o espaço, mas não o nosso próprio.

Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores. Limpamos o ar, mas poluímos a alma; dominamos o átomo, mas não o nosso preconceito; escrevemos mais, mas aprendemos menos; planeamos mais, mas realizamos menos.

Aprendemos a nos apressar e não, a esperar. 

Construímos mais computadores para armazenar mais informação, produzir mais cópias do que nunca, mas comunicamos menos. Estamos na era do 'fast-food' e da digestão lenta; do homem grande de caráter pequeno; lucros acentuados e relações vazias.

Esta é a era de dois empregos, vários divórcios, casas chiques e lares despedaçados. Esta é a era das viagens rápidas, fraldas e moral descartáveis, das rapidinhas, dos cérebros ocos e das pílulas "mágicas". Um momento de muita coisa na vitrine e muito pouco na despensa. Uma era que leva esta carta a ti, e uma era que te permite dividir esta reflexão ou simplesmente clicar 'delete'.

Lembra-te de passar tempo com as pessoas que amas...elas não estarão por aqui para sempre. Lembra-te dar um abraço carinhoso a um amigo, pois não te custa um cêntimo sequer. Lembra-te de dizer "eu amo-te" à tua companheira(o) e às pessoas que amas, mas, em primeiro lugar, ama... Ama muito. 

Um beijo e um abraço curam a dor, quando vêm de lá de dentro. O segredo da vida não é ter tudo que queres, mas AMAR tudo que tens! 

Por isso, valoriza o que tens e as pessoas que estão ao teu lado.

George Carlin

Pedra do Baú, São Bento do Sapucaí

terça-feira, 13 de março de 2012

De volta ao paraíso

Depois de cerca de um mês e meio em Camburi/Barra do Una onde já pouco havia para ver (pelo menos a pé, já que não tinha carro e dependia das minhas pernas, ônibus e caronas), voltei para Ubatuba.

Terra maravilhosa, acolhedora e onde acho que já me sinto em casa... Aqui tudo é mais fácil e há sempre algo para fazer, nem que seja contemplar a natureza que me rodeia (o que não é nada mau, garanto-vos).

Ubatuba não me trouxe apenas a tranquilidade que quase perdi por aqueles lados, mas também alguns projectos interessantes a nível profissional. Voltar ao Ballet dando aulas a crianças, estabelecer parceria com uma rapariga que tem uma agência de comunicação na cidade vizinha e colaborar com um jornal do Litoral são alguns dos projectos que me caíram nas mãos e que espero conseguir agarrar.

De volta ao paraíso, sinto-me ainda com mais energia para criar e, acima de tudo, fazer algo que me preencha a alma...